slacklinevidaequilibrio
Inventários reforçam a importância da preservação do Patrimônio Regional
Cultura

Inventários reforçam a importância da preservação do Patrimônio Regional

Inventários reforçam a importância da preservação do Patrimônio Regional

Às margens da BR-265, sentido Barbacena, a Casa de Pedra foi também relacionada pelos técnicos da

Secretaria Municipal de Cultura e Turismo

Desde o começo de 2019, a equipe do Setor de Patrimônio da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo da Prefeitura de São João del-Rei, responsável pelo patrimônio histórico do município, vem coletando dados  para a produção de futuros inventários. O inventário e, posteriormente, um possível tombamento, é um mecanismo de proteção, previsto pela Constituição Federal para que os bens históricos possam ser protegidos e assim receber os devidos cuidados. No momento, já foram concluídos 90 tombamentos individuais, 143 inventários e 12 registros em São João del-Rei, em nível municipal, segundo o Decreto 7797 de 29 de novembro de 2018. Esse ano, foi concluído um novo tombamento pelo Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Cultural, a quem compete a deliberação de todos os processos de patrimônio. Estão em elaboração 16 novos inventários e 9 registros, em fase de levantamento de dados.

Para que um bem passe pelo processo do inventário cultural, é necessário que a motivação desta proteção especial seja comprovada. Para tal, a pessoa ou grupo interessado em determinado bem deve comprovar o valor histórico, cultural e/ou artístico. Esse pedido deve ser enviado ao Setor de Patrimônio, que irá avaliar se tal bem realmente requer o tipo de proteção que o inventário proporciona.

E não são apenas os patrimônios materiais que passam por este tipo de processo. O patrimônio imaterial também exige proteção (municipal ou estadual) para que tradições e marcos da cultura local não se percam. Um exemplo é o grupo de Congado do distrito de São Gonçalo do Amarante de São João del-Rei que foi inventariado em 2018, o primeiro bem imaterial da cidade a passar pelo processo. Outros grupos da cidade também estão sendo visados para passarem pelo mesmo processo, como o grupo de folia Embaixada Santa.

Os registros previstos para este ano contemplam corporações musicais e a culinária local, que também podem tornar-se patrimônio cultural em um futuro próximo.

Em relação ao Imposto de Circulação sobre Mercadorias e Serviços (ICMS), que pode ser revertido ao setor cultural, o peso dos inventários funciona no quadro II-A (que contém os mecanismos de preservação e salvaguarda do patrimônio), da deliberação normativa, perfazendo dois pontos.

Os processos de inventários e relatórios técnicos elaborados pelo Setor de Patrimônio se concluem com a aprovação e validação pelo Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Cultural.

 

Fonte: http://www.saojoaodelrei.mg.gov.br

Texto por: Samara Santos – Foto: Divulgação/SMCT

Anuncie Aqui Super banner
Cultura

Mais notícias da Categoria Cultura

Sala do artesão completa 1 ano e discute os rumos do artesanato regional

Sala do artesão completa 1 ano e discute os rumos do artesanato regional

Portal Paranaíba 29/07/2019
Fotos de reflexos das ruas são-joanenses são expostas no Sesi Minas Ouro Preto

Fotos de reflexos das ruas são-joanenses são expostas no Sesi Minas Ouro Preto

Portal Paranaíba 14/06/2019
Artigo novo de Petrônio Souza ”A Civilização do Ouro”

Artigo novo de Petrônio Souza ”A Civilização do Ouro”

Portal Paranaíba 29/05/2019
ACHMG tem nova diretoria

ACHMG tem nova diretoria

Portal Paranaíba 08/02/2019
Artigo :  A Belo Horizonte eterna , de Petrônio Souza

Artigo : A Belo Horizonte eterna , de Petrônio Souza

Portal Paranaíba 15/12/2018
III Feira Literária e Cultural do Presídio de São João del-Rei trabalha a cultura do Nordeste

III Feira Literária e Cultural do Presídio de São João del-Rei trabalha a cultura do Nordeste

Portal Paranaíba 07/12/2018